segunda-feira, 12 de novembro de 2012

A Floresta Amazônica


   A Floresta Amazônica é considerada a maior floresta tropical, se estende por uma área aproximada de 5,5 milhões de km², abrangendo a região norte do território brasileiro compreendendo os estados do Acre, Amazonas Rondônia, Pará, Mato Grosso, Amapá, Tocantins e Maranhão. É um bioma sujeito ao clima predominantemente equatorial, com abundante regime chuvoso, conseqüentemente úmido.
   Também é chamada de Floresta Equatorial da Amazônia ou Hiléia Amazônica, a qual possui 60% de sua cobertura em território brasileiro. A bacia hidrográfica da Amazônia possui muitos afluentes importantes, tais como o rio Negro, Tapajós da Madeira, sendo que o rio principal é o Amazonas, que passa por outros países antes de adentrar em terrar brasileiras. O rio Amazonas nasce na cordilheira dos Andes e estende-se por nove países: Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Peru, Suriname e Venezuela. É considerado o rio mais volumoso do mundo.
   Essa floresta é considerada a maior reserva em termos de biodiversidade do planeta. Ela abriga mais de 30 mil espécies de plantas. A sua fauna exuberante também é muito rica, com destaque para tucanos, araras, cutias, pacas e diversas espécies de répteis, anfíbios e insetos.






                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                  

   Um dos principais problemas atuais enfrentados pela Floresta Amazônica é o desmatamento ilegal e predatório. Madeireiras instalam-se na região para cortar e vender troncos de árvores nobres. Há também fazendeiros que provocam queimadas na floresta para ampliação de áreas de cultivo (principalmente de soja). Estes dois problemas preocupam cientistas e ambientalistas do mundo, pois em pouco tempo, podem provocar um desequilíbrio no ecossistema da região, colocando em risco a floresta. Outro problema é a biopirataria na floresta amazônica. Cientistas estrangeiros entram na floresta, sem autorização de autoridades brasileiras, para obter amostras de plantas ou espécies animais. Levam estas para seus países, pesquisam e desenvolvem substâncias, registrando patente e depois lucrando com isso. O grande problema é que o Brasil teria que pagar, futuramente, para utilizar substâncias cujas matérias-primas são originárias do nosso território.
   Com a descoberta de ouro na região (principalmente no estado do Pará), muitos rios estão sendo contaminados. Os garimpeiros usam o mercúrio no garimpo, substância que está contaminando os rios e peixes da região. Índios que habitam a floresta amazônica também sofrem com a extração de ouro na região, pois a água dos rios e os peixes são importantes para a sobrevivência das tribos.

                     

Nenhum comentário:

Postar um comentário